sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Curiosidades da Holanda



Se você for para Holanda na primavera (março a maio), um passeio obrigatório é apreciar uma das suas atrações mais famosas, os campos de tulipas. Sim estas fotos são dos campos de tulipas!!! Muito lindos né!??



Estava pesquisando sobre a Holanda pela internet e achei um texto interessante e completo e vou trascrevê-lo para vocês, já que estou sem tempo para me dedicar as postagens.

"A Holanda é um país situado no noroeste da Europa, uma democracia parlamentar sob uma monarquia constitucional. O país é limitado ao norte e a leste pelo Mar do Norte, a oeste pela Alemanha e ao sul pela Bélgica. Sua capital constitucional é Amsterdam, mas a Haia é a sede do governo da maioria das embaixadas (inclusive a brasileira) e a residência da monarquia. O quê? Você nao sabia que a Holanda é uma monarquia? Eu também não. É que, ao contrário da Inglaterra, o reinado da Holanda nao se envolve em escândalos, e ai acaba no anonimato.

Esse país é um dos países mais densamente povoados e geograficamente mais baixos do mundo. O país é extremamente plano. Aproximadamente metade do território fica a menos de 1 metro acima do nível do mar, e boa parte das terras estão de fato abaixo do nível do mar. O ponto mais baixo, Nieuwerkerk aan den Ijssel, perto de Rotterdam, localiza-se a um nível de 6,76m abaixo do nível do mar. O ponto mais alto, Vaalserberg, na fronteira sudeste, localiza-se a uma altitude de 321 m (ou seria baixitude?).

A Holanda é mundialmente famosa por vários motivos a saber: tulipas, moinhos, estufas, motor-home (trailer), bicicletas, tamancos, consumo ”tolerado” de maconha e haxixe, prostituicao legalizada, casamento homossexual, eutanásia, vaca holandesa, berço de artistas como Van Gogh e Rembrandt, esconderijo de Anne Frank que rendeu livro e filme e a cor laranja que os holandeses sempre usam como símbolo de nacionalismo.

É um país interessante, pois apesar de pequeno (menor que o estado do RJ), concentra muitas riquezas culturais e uma identidade original e apaixonante. É o país da liberdade de expressão, mas é também o país das tradicões seculares. Um país que se propôs a quebrar tabus, legalizando ou tolerando muito do que é proibido no resto do mundo. Mas esse mesmo país denominado frequentemente “Freeland” (país livre) é também um país que vem entrando em contradicão, pois começa agora a proibir ou a restringir tudo que um dia foi “permitido”.

Alguns críticos dizem que sua capital Amsterdam começa a sofrer um conflito de identidade, mas eu não acredito 100% nisso. Acho que, na verdade, são os turistas que vão para Amsterdam impulsionados por uma imagem falsa e acabam deixando de realmente “conhecer” tanto Amsterdam quanto a própria Holanda. Amsterdam é muito mais do que um lugar cheio de “coffee-shops”, onde é tolerado o comércio e consumo consciente de maconha/haxixe. Amsterdam é muito mais do que um lugar onde existem prostitutas expostas em vitrines, que vendem seus servicos e pagam impostos por isso. Amsterdam é uma cidade plural, com uma atmosfera vibrante e livre. Um lugar onde qualquer um se sente em casa e não me pergunte por quê. Talvez porque muitos habitantes de Amsterdam são estrangeiros? Talvez. Mas não. Não é SÓ por isso. Talvez porque tantos canais cortando a cidade nos dão a impressão de que tudo ali é móvel, transponível, fluente, livre para seguir em qualquer direção? Pode ser. Não sei. Só sei que me apaixonei não só por Amsterdam, mas principalmente pela Holanda.

Amsterdam é um lugar de muitas tribos. Uma cidade que encanta pelo seu charme e que te convida a conhecer mais por causa das suas características transgressoras. Aqui é possível fazer diversos programas, partindo de museus e indo até as “vitrines do sexo”. Tem programa pra todos os gostos e para todos os bolsos também. Mas tanta opcão, pode e é frequentemente mal compreendida e muitos turistas acabam buscando e encontrando apenas problemas em Amsterdam. O que é uma pena.

O que conhecer? Tudo o que puder. Perca-se nos quarteirões, se é que é possível. A distribuicao das ruas facilita a exploraçao sem correr o risco de realmente se perder. Em cada quarteirao uma nova face de Amsterdam e é ai que está o bom de se perder por lá. Tem sim muitos museus importantes, alguns parques, dezenas de cafés deliciosos à beira dos canais, muitos passeios pelos canais e por aí vai. Mas nao espere que eu sugira algum, pois estar na Holanda é aproveitar para sair do comum ou do que se pode planejar e partir para o inusitado e espontâneo.

Mas não posso deixar de salientar algumas coisas. Então vamos lá:

- Bicicletas: a Holanda é super famosa por causa da quantidade de pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte para curtas distâncias e em Amsterdam essa fama se confirma absurdamente. Essa fama é consequência da geografia local, ou seja, um país MUITO plano. Mas nao é muita bicicleta nao, é MUITA mesmo! Chega a ser realmente perigoso, mas nao por causa dos Holandeses, mas sim por causa dos turistas que mal sabem andar de bicicleta, mas que pra nao deixar de se sentir “local”, alugam uma e saem bamboleando e causando pelas ruas de Amsterdam.

Canais: os canais sao um charme e as possibilidades de passear neles sao bem variadas. Você pode usar um barco feio que se chama “Canal Bus”, mas também pode usar um barco mais bonitinho e pagar mais por isso. E tem também a possibilidade de alugar um pedalinho. Nadar não sei se é permitido ou nao, mas eu nao arriscaria, pois apesar de charmosos, a água dos canais nao é lá muito limpa não.

Casas típicas: as casinhas holandesas são lindas e com uma arquitetura muito particular. Todas as casas são emendadas umas nas outras. As que ficam na beira dos canais parecem ficar mais bonitas ainda, pois dá a impressao que foram feitas exatamente para serem alocadas junto à canais ou nos passeios junto aos cafés super deliciosos a partir da primavera. Lindas!

Drogas: Eu sou careta em relação a isso, sou totalmente contra as drogas, mas vamos as informações. Ao contrário do que MUITA gente acha, a maconha NAO é legalizada na Holanda. Pois é. A história toda é muito complexa, mas vou tentar resumir. A Holanda separa as drogas em duas categorias: pesadas e leves. As pesadas (cocaína, heroína, extasy e etc) sao TOTALMENTE INTOLERÁVEIS pelas autoridades holandesas, ou seja, se você for pego com drogas dessa categoria será preso e multado severamente. Já para drogas leves (maconha e haxixe) há uma tolerância, embora nao seja permitido fumar. Se você for pego com até 5 gramas, o policial poderá recolher a droga (raramente irá ver alguém fumando nas ruas), mas nao irá te punir por isso. Tentando separar os grupos de viciados e de “curtidores” o governo incentivou a criacao dos famosos “coffee-shops”, onde se pode vender drogas leves mediante algumas regras.


Como funciona?? Você entra e normalmente já encontra um cardápio das ervas, escolhe, pede, enrola e fuma. Geralmente o ambiente é todo decorado em estilo indiano, meia-luz, almofadas no chão e uma distribuicao circular dos lugares pra promover a integracão das pessoas. Eles são proibidos de vender bebidas alcoólicas. Nestes ambientes, o consumo moderado de maconha é tolerado, mas a comercializacao e a producão de maconha na Holanda são proibidas. Dá pra entender uma situacao dessas? Os caras dizem que é proibido plantar e/ou comercializar grandes volumes, mas ao mesmo tempo toleram a venda no varejo (<5>


- Shopping da Maconha: é incrível a quantidade de produtos que se pode fazer com as fibras da maconha. Tem bolsa, roupa, bijouteria e assim vai.



- Prostituicão: As prostitutas em Amsterdam expoem o “produto” em vitrines e é impressionante. Em Amsterdam, todas prostitutas pagam 19% de impostos, ou seja, elas literalmente se prostituem pela pátria! Isso sim que é nacionalismo, ou seja, dão prazer aos clientes e dinheiro ao governo.

- Dia da Rainha: no dia 30 de Abril, a Holanda celebra o aniversário da rainha Beatriz (Beatrix). Em holandês, o Dia da Rainha designa-se de ‘Koninginnedag’. O aniversário da rainha é celebrado em todo o país, mas Amesterdam é, sem dúvida, o melhor lugar para festejar! Quase meio milhão de pessoas visita a Holanda para celebrar o Dia da Rainha, pelo que este dia é visto como um dos eventos mais importantes do ano. Todas as pessoas se vestem de cor-de-laranja neste dia (cor-de-laranja é a cor nome da realeza holandesa). Tudo neste dia é cor-de-laranja, desde doces, bebidas, carros, casas, etc. E o mais interessante, o Dia da Rainha é o único dia do ano em que as pessoas podem vender coisas na rua sem permissão. É por este motivo que se podem encontram imensas feiras neste dia.

ROTTERDAM

Essa cidade é o avesso da idéia que temos tanto em relacao à Holanda, quanto em relacão à Europa. É nela que fica o maior porto da europa (o segundo maior do mundo) e uma arquitetura modernérrima e criativa. Durante a segunda guerra mundial a cidade foi bombardeada e, como resposta, se recompôs do massacre apresentando à europa toda a sua força traduzida em sua arquitetura arrojada e cubista.


DELFT

Delft é como se fosse uma miniatura de Amsterdam e com uma vantagem: poucos turistas. Mas só vale a pena se tiver tempo livre mesmo, pois nao tem nenhuma novidade aparente. Bonitinha, mas dispensável.

VOLENDAM

Volendam é um vilarejo de pescadores super charmoso e que nos dá uma idéia muito precisa do que foi a Holanda um dia, pois andando por lá você tem a impressao de que o tempo lá nao passou. Fica a apenas 25 minutos de carro partindo de Amsterdam, ou seja, dá até pra ir de bicicleta. Chegando lá, você vai encontrar um porto bem singelo e muitas casas coloridas apaixonantes, além de pessoas extremamente simpáticas e alegres. Ah! E se tiver sorte, também poderá encontrar holandeses saídos dos contos de fadas com roupas típicas, inclusive o tal tamanco de madeira.

Uma das coisas mais interessantes em Volendam é o antigo dique, hoje utilizado como passarela de pedestres. Sim, os diques não são paredões que cercam a Holanda. Mas nao se preocupe se pensou que era assim, pois eu também achava isso. Na verdade os diques que protegem a Holanda contra inundacões são morros com gramado e flores, ou seja, além de protegê-los de forma muito mais eficiente, ainda embeleza seu entorno. A sensacão de estar sobre esses diques é muito estranha, pois quando você olha do lado do continente, você percebe que tudo na cidade está abaixo do nível do mar.


MOINHOS

Difícil pensar em Holanda e não pensar em moinhos. Por se encontrar abaixo do nível do mar, a luta contra a água atravessa a história dos Países Baixos como um fio condutor. Grandes extensões do território foram conquistadas em zonas onde, antigamente, só existia água. Além disso, ao longo dos anos, foram realizadas importantes obras hidráulicas, para dominar a gestão hídrica dos Países Baixos. Nao sei por quê, mas quando vejo moinhos fico eufórica. Lembro que a primeira vez que vi um foi na Bélgica e fiquei apaixonada, agora imaginem vocês ver dezenas juntinhos! Foi mágico e, sinto muito, mas não foi em Amsterdam. Aliás, li que próximo à cidade de Amsterdam é sim possível ver moinhos, mas poucos turistas sabem disso e voltam pra casa contentes em comprar um moinho na loja de souvenirs. Maaaas se você quer ver (pelo menos em fotos) moinhos totalmente “roots” e de verdade (véinhos, mas de pé), vamos as dicas:

Kinderdijk – é o maior conjunto de moinhos existente na Holanda. São 19 moinhos construídos nas primeiras décadas do século 18. Em 1997, a Unesco tombou o lugar tornando-o Patrimônio Histórico-Cultural da Humanidade. O conjunto de moinhos pode ser apreciado durante caminhada tranquila ou durante um passeio de bicicleta. Algumas famílias vivem dentro dos moinhos e têm no quintal a criação de alguns animais e uma pequena plantação. Durante o verão, um dos moinhos fica aberto a visitação. Os moinhos eram usados, nesta região, para retirar água da chuva que alavaga a terra. Funcionava como uma bomba de água que levava o excesso para o rio principal, drenando o terreno. Em 1953, eles foram desativados e hoje se tornaram uma atração turística. Em outros locais do país, os moinhos eram usados para moagem de grãos.

De Zaanse Schans- esse é o point turístico para ver moinhos, mas vale a pena também. Não tem tantos moinhos, mas são mais bonitinhos por serem turísticos mesmo.

Além disso, você pode comprar queijo, além de ver o mesmo sendo produzido. Pois é, esqueci de falar dos queijos holandeses e isso é quase um sacrilégio!


TULIPAS

Vi uns cartões postais com fotos maravilhosas dos campos e perguntei pro cara no posto de informacoes turísticas onde era aquela foto e ele disse: “é no caminho pra Leiden, em Lisse”. Logo depois, vi um panfleto fazendo propaganda de um passeio pra Lisse e logo eu combinei uma info com a outra e achei que era a mesma coisa. E daí? E dai que nao era! E o tal passeio é na verdade pra visitar um parque super famoso chamado Keukenhof e carérrimo que tem várias tulipas e flores diversas plantadas, mas nao tem os tais campos quilométricos. Chegamos no tal parque (que é sim lindo), pagamos e sai procurando onde estava o “meu campo” de tulipas. De repente, tudo parecia um sonho: encontrei!!!! Mas pra ir até o campo tivemos que sair do parque.


P.S.: nao se deixe enganar com mapinhas turísticos de Amsterdam, pois lá eles indicam com umas tulipinhas um local, mas chegando lá nada mais é do que um monte de lojas agrupadas que vendem tudo que você imagina sobre tulipas. Aliás, em Amsterdam mal vi tulipas plantadas.

TAMANCOS

O complemento mais característico dos trajes típicos holandeses é o tamanco de madeira. O povo holandês, ao contrário do que se pensa, não usa tamancos, até porque eles já sao enormes, por natureza. Alguns o adotam porque ele protege os pés contra o frio e a umidade inerente ao solo holandês. São também mais seguros no chão molhado e escorregadio. É um calçado barato e resistente que foi desenvolvido por volta de 1429. São chamados pelos holandeses de “Klompen” por fazerem o som de clomp clomp ao andar. Os tamancos são fabricados com madeira macia de choupo ou salgueiro. As fábricas de tamancos podem ser visitadas, e os tamancos podem ser adquiridos nas lojas, que possuem uma grande variedade de tamanhos e modelos.

Nós fomos em uma fábrica super fofa chamda Ratterman. Fica em Amstelveen, pertinho de Amsterdam e, de carro, é bem fácil de chegar. O melhor dessa fábrica é o atendimento personalizado por um brasileiro super simpático. Aliás, acho que a Holanda é o lugar onde tem mais brasileiros depois do Brasil.


VACAS HOLANDESAS - bom, que as vacas do mundo não são de origem holandesa, todos nós sabemos, mas as vacas holandesas são fruto do cruzamento de outras raças e como o cruzamento foi feito em pastos holandeses, estas são consideradas holandesas purissímas e preciosissímas, uma vez que são as vacas que mais dão leite no mundo.

COR LARANJA COMO SÍMBOLO NACIONALISTA - já perceberam que os Países Baixos (Holanda) utilizam a sua bela camisa laranja e não o vermelho, branco e azul de sua bandeira. O laranja é uma referência à dinastia de Guilherme de Orange-Nassau que governou as Províncias Unidas no seu apogeu. Foi ele quem criou a bandeira tricolor dos Paises Baixos. A “bandeira do príncipe” era composta pelas seguintes cores: Laranja, branco e azul. A parte laranja foi substituída pelo vermelho durante a ocupação francesa em 1800 (mais uma do Bona, pois é, o Bonaparte). Mas, como em todas essas histórias, há controvérsias. Alguns dizem que mudou para o vermelho, pois esse seria mais visível no mar.


COMIDA HOLANDESA - bom, eu li que tem várias coisas típicas holandesas, mas é difícil entrar em algum restaurante que não ofereça como cardápio principal “fish and chips”, ou seja, dá até a impressao de estar na Inglaterra. Mas mais famoso do que isso sao as “chips” mesmo, que vem num super canudo com diferentes tipos de “cobertura”, por exemplo, queijo cheddar.



CASAS AQUÁTICAS - chegando em Amsterdam, você vai perceber que tem um monte de navio atracado que parece com uma casa. Sério! Parece que estão abandonados, mas ai você vai reparando e vendo que na verdade eles tem toda uma cara de casa, com direito a varal e até a jardim de entrada. Se mora alguém lá? Nao sei, mas tenho quase certeza que sim. "


O texto completo você pode acessar no http://retratoserelatos.com

Bom final de semana pra gente!!!

Paula Gontijo

2 comentários:

Helena Teixeira disse...

Olá!
Tenho uma amiga a viver na Holanda e ela só fala maravilhas: da bicicleta,desses campos de flores,da famosa Tulipa,do ambiente zen,da amabilidade...Vendo essas imagens,dá mesmo vontade de ir até lá.
Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Dezembro do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
“O tema é: O Natal na minha Terra”
Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt até dia 8 de Dezembro. Participe. Haverá boa convivência e uma campanha de solidariedade!

Jocas
Lena

Tere disse...

Adorei suas dicas, moro em Luxembourg e estou pesquisando e fazendo o roteiro, vamos em agosto, estou louca p/ conhecer, esse ano tem a FLORIADE que acontece de 10 em 10 anos, deve ser magnifico, nao vou perder........ um grande abraço, valeu!!!